Como meditar?


1 min de leitura
19 Aug
19Aug

Como meditar?

Uma das coisas que mais me perguntam é como meditar e essa pergunta costuma vir acompanhada de uma ideia de que não se está meditando direito. Bom… é claro que é super possível que a pessoa não esteja meditando de forma correta, mas para saber isso ela precisa antes de qualquer coisa saber que tipo de meditação ela está se propondo a fazer e se aquela meditação está de acordo com o que ela precisa e principalmente com o que ela dá conta naquele momento da vida. Meditar nem sempre significa ficar sentado com as pernas cruzadas fazendo silêncio. Você pode meditar de muitas formas, inclusive em movimento ou em pé.

Mas independente do estilo de meditação que você escolher existem alguns pontos que são comuns a todos eles e são exatamente esses pontos que definem se você está ou não está meditando.

Um dos pontos chaves da meditação é a respiração. Estar atenta à sua respiração é fundamental para toda prática, principalmente quando você está começando a praticar. Você pode inclusive usar a respiração como âncora na sua meditação.

Âncora é um objeto que você escolhe para focar e esse objeto te ajuda a manter o foco na meditação. Ao contrário do que muitos pensam, meditar não é pensar “em nada”, o nome disso é morte cerebral. Meditar é você não se deixar levar pelos seus pensamentos, não se envolver com eles, pois só assim você poderá vivenciar a plenitude do  momento presente. Se você estiver atenta a sua respiração e bem firmada em sua âncora será muito mais fácil que sua mente adentre um estado meditativo  e encontre ali a paz desejada.

Uma dica importante: sempre que você se pegar confabulando ideias e desenvolvendo diálogos internos durante a meditação, volte-se à sua âncora e se coloque no lugar de observador(a) dos eventos internos. Não se deixe levar nem por pensamentos, nem por sensações ou sentimentos. Esteja sempre em seu centro, conectada ao seu silêncio interior.

Para te ajudar nesse processo separe um local e um momento adequado do dia para se dedicar a essa prática. 5 minutos por dia é o bastante para começar a acessar os benefícios dessa prática. 


Espero que esse texto lhe seja útil e se quiser saber mais sobre esse assuntos me avise aqui pelos comentários.


Forte abraço, namastê!

Rodrigo Figueira

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.